terça-feira, 7 de setembro de 2010

Massagem Shiatsu

Reequilíbrio físico e energético:

O que é o SHIATSU?
O SHIATSU É UMA TERAPIA oriental de reequilíbrio físico e energético.
Usualmente é definido como uma “massagem” oriental mas é muito mais do que isso.
Actua através das pressões que são aplicadas em determinadas áreas e pontos do corpo
humano, efectuadas, fundamentalmente, pelos polegares, dedos e palmas, sem o uso
de qualquer instrumento mecânico ou de outro tipo, corrigindo disfunções internas,
promovendo e mantendo a saúde e tratando doenças específicas.

CONSCIÊNCIA E EQUILIBRIO:

O grande potencial do Shiatsu está em tornar o paciente consciente do seu próprio
corpo. E o corpo não é só corpo. O corpo armazena emoções, sentimentos, reflecte o
nosso estado mental. No corpo, nos músculos e nervos, está inscrito um pouco do nosso
passado. Ele fala de nós de uma forma mais viva do que as nossas palavras, que contam
histórias que nem sempre exactas. O corpo não mente e também não esquece.
Termos o nosso corpo tocado é uma experiência forte. O Shiatsu desperta no paciente
uma nova consciência de si. E quando tocamos uma área ou um ponto onde a energia
está bloqueada, não só chamamos a atenção do paciente para ela, como ajudamos o
bloqueio a dissolver-se. Esse trabalho de normalização do fluxo energético traz ao
paciente uma sensação de equilíbrio interno, de leveza e bem-estar, de integração
consigo mesmo, sentindo-se profundamente relaxado, e, ao mesmo tempo, repleto de
vigor e energia.

OS SEUS BENEFÍCIOS:

É de grande utilidade para levantar os níveis de energia do paciente, regular e fortalecer
o funcionamento dos órgãos e estimular a resistência natural do corpo às doenças.
Entre os diversos benefícios que o shiatsu apresenta para o organismo, poderão
destacar-se:

Flexibiliza a pele;
Melhora o sistema circulatório;
Flexibiliza o sistema muscular;
Ajuda à recuperação do equilíbrio do sistema ósseo;
Facilita as funções do sistema digestivo;
Melhora o controlo do sistema endócrino;
Regula as funções do sistema nervoso;
Menos frequência de tomas de medicação;

Sem comentários:

Enviar um comentário