segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Medicina vibracional

No mundo da medicina holística, a doença é causada não apenas por germes, químicos e traumas físicos, mas também por disfunções crónicas dos padrões de energia emocional e pelos maus hábitos de relacionamento da pessoa consigo mesma e com os outros.

O caminho vibracional não utiliza bisturis e medicamentos de laboratório para tratar os sintomas, mas sim, diferentes formas de trabalhar a energia para produzir transformações curativas na mente, no corpo e no espírito do doente. De facto não há doenças. Há doentes.

Existe uma relação entre as tensões na consciência e os sintomas no corpo. Cada pessoa tem sentimentos únicos que se não forem verbalizados e transformados serão causadores de sintomas no corpo.

Este novo paradigma (modelo holístico) encontra as suas bases científicas na visão de mundo da nova física desenvolvida ao longo do século passado, a física quântica.

Amit Goswami, físico quântico reconhecido internacionalmente, usa o termo Médico Quântico para o médico que traz para sua prática clínica e terapêutica a mensagem da física quântica.

O paradigma holístico reúne o modelo Ocidental dito cartesiano-newtoniano que se caracteriza por ser fragmentador e reducionista e analítico, com o modelo Oriental que trata a pessoa como um organismo total unificado que tem por base a filosofia taoista e vedanta mais sintético.

Importa entender que os dois modelos não são opostos, antagónicos ou alternativos mas sim complementares.


4 comentários:

  1. é sem dúvida extraordinário e muito lógico, pois o ser humano é "um composto" de corpo, alma e espírito, dentro deles; o eu interior, a vivência externa; com quem nos socializamos e isso na minha opinião, tem muito haver com a nossa forma de estár, as nossas atitudes e forma de pensar. Para estármos bem tem de haver uma junção de um nós todo para podermos evoluir como espírito e consequentemente alma e corpo,é a minha ideia do ser humano,lol, só não sei se é correcta. beijinho grande.

    ResponderEliminar
  2. Olá. A tua ideia está correcta e aproveito para desenvolver mais um pouco.
    Cada pessoa está a ter uma experiência humana.
    Cada Ser veste um corpo como veículo para se movimentar e existir no espaço e no tempo. A nossa alma é de uma energia muito subtil e o nosso corpo físico de uma energia muito densa, entre o corpo e a alma existem outros corpos de densidades intermédias para que ambos os extremos se possam comunicar. O estarmos bem é sentido pelo nosso corpo emocional, quando todos os outros estão numa harmonia pelo menos razoável. :) beijinho

    ResponderEliminar
  3. Thank you pela explicação. Esses corpos de densidades intermédias a que te referes serão os nossoa sentido?Audição,visão,etc.
    beijocas tambem para ti.

    ResponderEliminar
  4. Os sentidos são uma parte do ser (de nós mesmos) que nos permite a contactar e apreender a realidade.

    A realidade não pode ser tocada com o olhar, sentida com a pele, cheirada, ouvida... no entanto, creio que por vezes desencadeia em nós um sentimento, um sentir sublime que, sim, nos aproxima da nossa alma. Essa alma que conhece a Verdade, a Realidade.

    Os corpos subtis são mais como um filtro vivo e também um canal que conduz do sentir grosseiro/denso/físico ao sentir sublime/subtil/leve/espiritual.

    Quando os místicos falam do 3º olho, o olho do espírito, referem-se a ver para além do que o olhar apreende. Eu diria ver com o coração. Porque quando olhamos com o olho físico, vem logo a seguir a mente a julgar e categorizar o visto. Ora a mente é como um computador. só lá está o que nós e o nosso circulo sócio-familiar colocámos lá dentro. e quão pequeninos somos nós e o nosso círculo perante a vastidão do Universo.

    Beijinho

    ResponderEliminar